Igreja em festa no mês de outubro

A Paróquia São João Batista realizou, na tarde de 14 de outubro, a cerimônia do sacramento do Crisma, contando com a participação de 39 jovens pertencentes à paróquia.
A missa, animada pelo Coral Cantare La Vita, foi organizada pelas catequistas dos jovens, que chegaram à igreja acompanhados por seus pais, familiares e padrinhos escolhidos para acompanhá-los na renovação de seu compromisso com Jesus Cristo.
 
Missa Sertaneja
Em Outubro, outra missa marcou o mês na Igreja São João Batista. Mês em que o Brasil comemora o dia de Nossa Senhora Aparecida, em Nova Bréscia as homenagens foram diversas. No dia 12 de outubro, uma missa em homenagem à Santa e às crianças foi realizada, com a participação das crianças das Invernadas Artísticas do CTG Paixão Cortes, que também fizeram doação de brinquedos a crianças carentes.
Já no dia 21 de outubro, foi a vez do grupo de jovens da paróquia realizarem sua homenagem aos 300 anos da Aparição de Nossa Senhora Aparecida. Eles organizaram uma “Missa Sertaneja”, que contou com igreja decorada, músicas coreografadas e equipe de liturgia vestida a caráter.
A iniciativa é novidade na Igreja São João Batista e parece ter agradado ao público, já que a igreja ficou lotada na celebração temática.
 

Região recebe R$ 36 milhões liberados pelo Sicredi

De julho a outubro de 2017, o Sicredi Região dos Vales disponibilizou, aos produtores dos 18 municípios de sua área de atuação, R$ 36 milhões em recursos para as operações de custeio agrícola.
Os valores liberados para a safra 2017/2018, compostos em sua maioria por linhas do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), tiveram como principal destino o plantio de lavouras e pastagens e contribuíram com a atividade econômica de 2,5 mil produtores.
Nesta safra, conforme levantamento do Sicredi Região dos Vales, a área total plantada com recursos de custeio abrange 21,7 mil hectares de diferentes culturas. Entre as principais atividades financiadas estão 13,1 mil hectares de milho; 6,6 mil de soja; 1,4 mil de erva-mate e 362 hectares de uva.
A família Kafer, de Linha 32, interior de Arroio do Meio, é associada ao Sicredi há 22 anos e é um exemplo da utilização dos recursos de custeio para o cultivo da sua lavoura. O empreendimento familiar é conduzido pelo pai Germano (60 anos) e o filho Lucas (23 anos), com o auxílio da mãe Clara (58 anos). Com planejamento e investimento, eles têm incrementado sua produção agrícola.
Os Kafer possuem cerca de 38 hectares de terra, onde cultivam 20 hectares de milho na safra e 10 na safrinha. Além disso, se dedicam ao leite e contam com um plantel de 75 vacas (sendo 55 em lactação), que geram uma produção de 1,4 mil litros por dia. Também trabalham na criação de suínos com aproximadamente 600 animais por lote.
Com um relacionamento de longo prazo com o Sicredi, a família recentemente aproveitou os recursos do custeio para financiar parte das lavouras de milho silagem – utilizado para a alimentação do gado leiteiro. “Hoje conseguimos ter uma grande economia na propriedade. Temos toda a alimentação do gado aqui. Esse ano arrendamos mais uma área de terra para fazer tudo, pois se tivermos que comprar não é viável”, afirma Germano. E o filho ainda completa. “O Sicredi é nosso parceiro. É importante termos esse investimento para podermos crescer. Se não tivéssemos investido e crescido, talvez eu não conseguiria continuar na propriedade. Precisamos pensar na nossa produção de forma organizada. Quando queremos fazer algo avaliamos e calculamos, mas é importante termos investimentos que nos auxiliam”, destaca Lucas.
Além de auxiliar no cultivo das lavouras, o crédito disponibilizado aos produtores também movimenta a economia regional. Conforme levantamento do Sicredi Região dos Vales, considerando a produtividade e os valores previstos de comercialização nesta safra, os recursos disponibilizados pela Instituição devem gerar um faturamento aproximado de R$ 93 milhões aos produtores.
O diretor executivo do Sicredi Região dos Vales, Roberto Scorsatto, enfatiza a importância de apoiar a agricultura regional. “O agronegócio é um dos principais setores econômicos da nossa região e reinvestir os recursos captados aqui faz parte da nossa forma de atuação e colabora com o desenvolvimento desta atividade. Os valores de custeio que foram disponibilizados, além de viabilizar o plantio e o investimento nas propriedades rurais, promovem a geração de renda e o desenvolvimento local. A nossa região é caracterizada pela agricultura familiar e pelas pequenas propriedades e aqui o crédito rural é uma ferramenta importante, que incrementa os investimentos no campo, contribuindo para a manutenção das propriedades, a permanência das famílias no setor e o desenvolvimento dos demais segmentos econômicos da região”, enfatiza Scorsatto.
Fonte: Assessoria de Imprensa do Sicredi Região dos Vales

Mais diversão na Praça da Matriz

Foram instalados no Parque Infantil da Praça da Matriz, parte dos brinquedos retirados das escolas municipais do interior que ainda aguardavam realocação.
Assim como os equipamentos já instalados recentemente no Bairro Vida Nova, estes também passaram por um cuidadoso processo de reforma e pintura antes do reposicionamento, realizado pela Administração Municipal através da Secretaria de Educação, em parceria com a Secretaria Municipal de Obras.
 

Pequenos Cantores agora são “Anjos da Esperança”

A missa da Igreja Matriz do dia oito de outubro contou com uma atração especial. A celebração contou com a reestreia do coral Pequenos Cantores, reativados pelo Padre José Grilli no mês de julho. 
O grupo é regido pelo professor Dothan Erbes e conta com a participação de alunos da EMEF Madre Assunta e da EMEI Criança Feliz. Os ensaios são realizados todas as terças-feiras, na sala de catequese da paróquia, na parte da tarde. Podem participar crianças de todo o município que estiverem estudando do 1º ano ao 5º ano. Novos integrantes estão sendo aceitos pelo coral.
Para que o coral pudesse ser reativado, a Paróquia São João Batista realizou um projeto que foi encaminhado à Mitra Diocesana de Santa Cruz, da qual faz parte. Através deste projeto, o coral foi registrado pelo Conselho Municipal de Assistência Social, passando a se chamar “Anjos da Esperança”. Através deste projeto, o coral pode receber recursos para gastos com o professor, pago pela Mitra.
Segundo o professor Dothan o trabalho com o coral está voltado para canções de cunho cultural, apresentação em datas comemorativas e cantos sacros para animação de celebrações religiosas. 
- O que queremos ensinar a essas crianças são os valores cristãos, disciplina e amar a Deus e seu próximo – esclarece Dothan. Conta a mudança significativa no comportamento das crianças a partir do momento que passam a integrar o grupo. - A música, como instrumento de expressão, desenvolve a disciplina, a criatividade e a espontaneidade. Desenvolve também as riquezas do espírito, a moral e os sentimentos de vida em grupo – afirma.
 
Você está aqui: Principal Notícias Geral