Presos suspeitos de assassinato

A Polícia Civil da região deflagrou, no dia 27 de outubro, às 18h e 30min, uma operação, em Roca Sales, a fim de cumprir seis mandados de busca e apreensão e dois mandados de prisão preventiva, relativas ao homicídio de José Pereira, mais conhecido como Zezinho, ocorrido no dia seis de setembro em Nova Bréscia.
Participaram da operação 22 agentes e cinco delegados da região, com 10 viaturas. Dos 27 policiais, 10 eram integrantes do Grupo Tático Montado na Região, que age em ações de alto risco. 
Na ação, foram presos os irmãos Igor de Lima Galvês (18) e Jeferson de Lima Galvês (20), o primeiro por suspeita de participação no homicídio e o segundo por posse irregular de arma, pois foi encontrada no cômodo da casa onde se encontrava, um revólver calibre 32 com seis cartuchos.
Também foram apreendidos no local celulares, notebook e outros objetos, para averiguar procedência.  Os dois presos foram levados para a Delegacia de Polícia de Roca Sales e, depois do registro, encaminhados para presídios da região. Igor, para o presídio de Arroio do Meio e Jeferson, autuado em flagrante e encaminhado para o presídio de Encantado.
A investigação do homicídio levou a identificação dos dois possíveis autores, faltando apurar a participação efetiva de cada um no crime, os quais foram reconhecidos por testemunhas. 
Gian Henrique Rodrigues Silveira dos Santos (18), é o outro investigado e havia fugido no dia da ação. Ele pulou uma das janelas da casa e pulou a barranca do Rio Taquari. Mas, no dia seguinte, foi preso pela Polícia Civil. 
A arma utilizada no crime não foi encontrada. Segundo apurado no inquérito policial e informações recebidas da comunidade, o homicídio de Zezinho foi motivado por disputa pelo controle da distribuição de drogas na cidade.
 

  

 

Gincana Farroupilha promove a cultura gaúcha

No dia 18 de setembro de 2015, foi finalizada a I Gincana Farroupilha Nico Fagundes. Esta gincana objetivou  integrar à comunidade escolar  em atividades e tarefas relacionadas a cultura e tradição do povo gaúcho. A Gincana foi uma parceria entre a Escola Nova Bréscia, CTG Paixão Cortes e a turma do 3º Ano A1 do Ensino Médio.
Para a gincana, os alunos foram divididos em três modalidades: 2º ao 5º ano, 6º ao 9º ano e Ensino Médio Politécnico. Cada equipe, com o auxílio de seu professor regente, cumpriu com uma série de tarefas que se iniciaram no dia 10 de julho. As tarefas envolveram a escolha e elaboração de um slogan e nome para a equipe, elaboração de dossiê, fotos da turma, vídeo, coleta de alimentos, além de apresentações de dança, chula, declamação de poesia e tarefas desenvolvidas no dia.
Os dados contabilizam a participação de 310 alunos, a coleta de 600 quilos de alimentos não perecíveis, a participação de 274 pessoas no almoço, além do intenso envolvimento dos alunos e professores no desenvolvimento da gincana.
As equipes que conquistaram a primeira colocação em cada modalidade foram: 5ª ano A, 7º Ano B e 3º ano A2. A Escola Nova Bréscia parabeniza  a toda a comunidade escolar pelo envolvimento e participação e agradece a parceria do CTG Paixão Cortes e a turma do 3º A1.
 
5º ano A
 
7º ano B
 
3º ano A2

Curso trazem novos conhecimentos

Na sede do CRAS, em parceria com o STR e SENAR, foi realizado nos dias 17 e 18 de setembro no turno da tarde e noite o curso de doces e tortas caseiras com a Professora e Nutricionista Gledes Forneck. Conforme relato das alunas o curso superou todas as expectativas.
 
Dias 09, 10 e 11 de setembro, foi realizado na comunidade de Linha Sagrada Família o curso de Jardinagem com a professora Lucimara Corvelo em parceria com CRAS, SENAR e STR. No entorno da Igreja e do salão comunitário foram feitos diveros canteiros com flores e folhagens embelezando o local. Comunidade que trabalha unida, permanece unida! 
 
 

Raiva Bovina é tema de palestra

A Secretaria da Agricultura do município promoveu, na tarde de 17 de setembro, uma palestra com o tema “Raiva Bovina”, com a participação do Coordenador Regional da Secretaria Estadual da Agricultura, Cleber Paulo de Melo, e do funcionário da Secretaria Estadual da Agricultura, Felipe Campos.
Os dois profissionais explicaram aos presentes que nem todos os morcegos trazem doenças ou malefícios para animais e humanos. Esclareceram que apenas uma das cerca de 38 espécie que vivem no Rio Grande do Sul transmite raiva. As demais, colaboram com o equilíbrio do meio ambiente e inclusive no combate ao morcego transmissor da raiva, pois outra espécie de morcego é seu predador.
O principal assunto da tarde foi a atenção com relação aos sintomas da raiva nos animais. Os profissionais alertaram que animais que ficam mais parados, começam a salivar em excesso, posicionam a cabeça para cima, andam em círculos, ou seja, apresentam mudanças no seu comportamento, devem ser avaliados. Após esta suspeita por parte do proprietário do animal, este deve entrar em contato com a Inspetoria Veterinária do município para que o profissional capacitado possa diagnosticar a doença. No entanto, a raiva só pode ser comprovada através de teste realizado no cérebro do animal morto. 
Mesmo antes da presença da raiva ser comprovada, o produtor precisa tomar medidas de segurança para não correr o risco de infectar-se com o vírus. Ele deve evitar o contato com a saliva e sangue do animal com suspeita de raiva, usando luvas para manejar o animal.
A medida mais eficaz de prevenir a morte dos animais pela raiva, é a vacinação. Além disso, os moradores do interior do município precisam ficar atentos a possíveis criadouros do morcego hematófago, que vive em locais totalmente escuros, calmos, longe das cidades. Depois de descoberto o local, uma equipe da Secretaria Estadual da Agricultura é chamada para fazer o controle do morcego.
- É passada uma pasta nas costas de um dos morcegos e este é solto. Quando ele volta para o ninho, passa o veneno para os demais morcegos, pois eles têm o hábito de lamberem-se. Nem todos os morcegos serão eliminados, apenas será feito um controle da sua população. Até porque não são todos os morcegos do ninho que estão contaminados com o vírus – explicou Cleber.
Segundo a Secretaria da Agricultura de Nova Bréscia, apenas um caso de raiva bovina foi comprovado no município. Foram realizados testes em três animais mortos na propriedade de Moisés Comper, em Linha Pinheiros. Um deles apresentou o vírus e os outros dois não. O Secretário Jorge Paulo De Maman explica que os demais casos de bovinos mortos, supostamente devido à raiva, não foram testados, pois não foram comunicados à Inspetoria Veterinária do município.
Você está aqui: Principal Notícias Geral