Passeata marca Outubro Rosa

No dia sete de outubro, funcionárias da Unidade Básica de Saúde realizaram uma “passeata” na cidade. O objetivo foi a divulgação do Outubro Rosa. A caminhada contou com carro de som, palhaços, cartazes chamando a atenção para a importância do autoexame, da mamografia e demais exames preventivos. 
O grupo fez paradas em alguns estabelecimentos comerciais, bancos, Centro Administrativo, escola, quando distribuiu panfletos e lacinhos cor de rosa, símbolo da prevenção do câncer de mama.

Condomínio do Leite completa um ano em funcionamento

Completou um ano de atividade, no mês de setembro, o Condomínio de Leite de Nova Bréscia, projeto associativo de produção leiteira da Dália Alimentos, intitulado Condomínio Dei Produttori di Latte Bréscia que envolve 14 famílias associadas.
Para saber como está o andamento das atividades no condomínio, entrevistamos o Supervisor de Gado Leiteiro da Dália Alimentos, o Zootecnista Fernando O. de Araujo.
Veja na entrevista o que ele nos contou.
 
JNB - Quantos animais estão alojados atualmente? Qual a capacidade total?
Fernando - Atualmente estão alojados 190 vacas e a capacidade total é 262 vacas.
 
JNB - Como foi o primeiro ano de atividade? Andou como previsto?
Fernando - O primeiro ano de atividade foi um período de adaptação dos rebanhos e início do processo operacional. As dificuldades encontradas foram aquelas já previstas quando é realizado o confinamento de um grande número de animais com potencial para alta produção. Principalmente no que se refere a adaptação dos rebanhos alojados.
 
JNB - O plano inicial foi mantido ou adaptações precisaram ser feitas?
Fernando - A atividade leiteira é extremamente dinâmica e exige tomada de decisões rápidas no dia a dia, que muitas vezes não estavam programadas. Porém, as diretrizes básicas do projeto foram mantidas e estão sendo executadas conforme o planejado.
 
JNB - Como foi o primeiro condomínio de leite da Dália, qual o aprendizado para os condomínios que foram e serão inaugurados depois dele?
Fernando - Sempre há novos aprendizados, principalmente quando se trata de projetos inovadores. É natural que os projetos seguintes sofram alguns ajustes com base em experiências anteriores. Tanto os produtores como a cooperativa estão adquirindo muita experiência com esse novo modelo de produção associativa.
 
JNB - Atualmente, qual a média de litros de leite diária?
Fernando - Atualmente a média de produção está em 30 litros de leite por vaca por dia. Esta era a primeira meta do projeto, porém sabemos que esse número pode melhorar muito.
 
JNB - Os associados já estão tendo lucro com o empreendimento?
Fernando - A contabilidade do condomínio é feita por uma empresa particular e é de domínio dos produtores associados, por isso não podemos divulgar números refente a parte econômica. O que pode ser observado é que o condomínio comporta-se como uma empresa que está iniciando suas atividades, onde a otimização da estrutura física, a eficiência do rebanho e os custos de produção são os principais fatores para a viabilidade econômica do projeto.
 
JNB - Em comparação ao segundo condomínio inaugurado, em Roca Sales, qual a diferença de produtividade? 
Fernando - Os dois projetos estão com produções médias muito parecidas, em torno de 30 litros de leite por vaca por dia. 
 
JNB - Quais os planos para daqui em diante? 
Fernando - Os três projetos já inaugurados estão em fase de alojamento e o quarto projeto está em construção. A equipe de assistência técnica está trabalhando na finalização de obras e, junto com os grupos de associados, para que os condomínios já em produção busquem melhores índices zootécnicos e consequente aumento de produção.

Entrevista com o prefeito e vice-prefeito eleitos

Recebemos o prefeito e vice-prefeito de Nova bréscia, eleitos nas eleições de dois de outubro, na redação do Jornal Nova Bréscia, para um bate-papo sobre como foi a caminhada da dupla até a vitória e seus planos para o seu governo.

Marcos Antônio Martini, o Kiko,  e Adialr Lorenzon contam como foi gratificante a caminhada até a vitória nas urnas e o aprendizado dos dias em que puderam conversar com quase que todas as famílias do município.

Veja o que eles contam na entrevista.

 

JNB - Como foram estes 45 dias de campanha?

Kiko - Foi uma caminhada satisfatória, que fizemos com gosto, com comprometimento. Começávamos cedinho, às cinco horas da manhã já estávamos em visita, com hora marcada com as pessoas para poder conversar. Como optamos por não fazer comícios, queríamos visitar todas as famílias e conseguimos falar com quase que todas as famílias do município. Nestas visitas a gente mais ouvia, o que nos ajudou nas nossas propostas.

 

JNB - O que ouviram das pessoas em suas visitas?

Adilar - Ouvimos bastante queixas, especialmente no interior, como sentiam-se abandonados, como havia desigualdade nos benefícios concedidos. As pessoas pediam mais incentivo, mais valorização, que fossem ouvidos.

Kiko - Os jovens diziam que gostariam de permanecer no município, mas precisavam de alternativas, de oportunidades. Já na cidade ouvimos muitos pedidos de melhoria dos espaços de alzer, como a praça, a criação de um caminhódromo, bem como a melhoria da cidade, calçadas, ruas.

 

JNB - Quando tiveram certeza da vitória?

Adilar – Desde o começo eu tinha certeza da vitória. Logo que os candidatos foram definidos, saia que íamos ganhar. Pelo que eu ouvia no interior, o que as pessoas falavam, eu já sabia. Eram 20 anos que eu esperava por esta oportunidade.

Kiko – a gente tinha convicção da vitória. Fizemos uma caminhada silenciosa, conversando com as pessoas, sem alarme. Estávamos tranquilos pelo trabalho contínuo que fizemos, falando com as pessoas ao logo dos quatro anos.

 

JNB - Esperavam a diferença de votos alcançada?

Adilar – Eu acreditava em mais de 250 votos. Já tinha certeza da vitória e quando começamos as visitas aqui no centro, eu imaginei essa diferença sim.

Kiko – Um ponto importante nessa diferença foi a mobilização do grupo, das famílias. Todos estavam engajados com a gente num mesmo propósito.

 

JNB - Quando pretendem começar a transição de governo?

Kiko - Primeiro vamos fazer um encontro com nosso grupo da coligação e criar um elo de comunicação cm o atual governo municipal, para estabelecer uma Comissão de Transição. Isso para tomarmos ciência da atual situação do município e podermos traçar metas. Já temos apoio de deputados que nos ofereceram apoio no que precisarmos.

 

JNB - Podem citar alguns nomes que vão integrar seu governo? Secretários?

Kiko - Não temos nenhum nome definido para participar do governo. Não fizemos nenhuma promessa durante a campanha e isso será definido com o nosso grupo. Nosso objetivo era a eleição.

 

JNB - Como pretendem governar com uma câmara com a maioria de oposição?

Adilar – Acredito que os vereadores vão apoiar o que for feito em favor do município, independente de partido político.

Kiko – A partir de janeiro, todos iremos trabalhar pelo município, e não para partidos políticos. Com muito diálogo, tenho certeza de que todos os vereadores vão apoiar os projetos que forem bons para Nova Bréscia.

 

JNB - As esposas vão participar do governo?

Kiko – Ainda não falamos com elas sobre isso. É claro que elas vão participar de alguma forma do governo, pois elas tem sua representação diante da sociedade. Certamente elas farão parte do governo, direta ou indiretamente.

 

JNB - Mensagem para os brescienses

Kiko – queremos, primeiramente, agradecer a Deus pela oportunidade. A todas as pessoas que rezaram e oraram por nós, pelo apoio espiritual que tivemos de todos. Em janeiro, vamos caminhar juntos em busca de uma Nova Bréscia melhor para todos

Adialr – Agradecemos ao nosso grupo, que se mobilizou diretamente na campanha. Às nossas famílias, pelo apoio e ao povo brescienses que tão bem nos acolheu em suas casas.

“Queremos que o jovem sinta-se valorizado”

Marcos Antônio Martini, mais conhecido como professor Kiko, é o candidato a prefeito pela coligação Unidos por Nova Bréscia, formada pelos partidos PDT, PMDB e PSDB. 
Aos 51 anos de idade, Marcos é professor estadual, já foi vereador na legislatura de 1993 a 1996, e diretor de escola estadual por 15 anos.
Veja o que Marcos falou ao JNB em entrevista exclusiva.
 
JNB - Por que quer ser prefeito?
Marcos – Para trabalhar e administrar com seriedade os recursos públicos, buscando constantemente servir, investir e inovar nas diferentes áreas sociais e econômicas, valorizando e enaltecendo nosso maior patrimônio, o povo bresciense, que tanto merece.
 
JNB - Qual a ‘bandeira’ de sua campanha?
Marcos – Nossa bandeira é trabalhar para o povo e pelo povo de Nova Bréscia.
 
JNB - Se eleito, qual o desafio que seu governo deve enfrentar?
Marcos – O grande desafio será trabalhar com as incertezas econômicas, devido à crise nacional e a realidade econômica do nosso município. 
 
JNB - Qual o principal problema de Nova Bréscia atualmente, para o qual o senhor pretende buscar solução, se eleito?
Marcos – Nosso principal problema é a falta de oportunidade e incentivo, especialmente para o jovem. Queremos criar condições para fazer com que o jovem sinta-se valorizado para aqui permanecer, tanto no interior quanto na cidade, através de projetos de incentivo, de apoio e diversificação de oportunidades.
 
JNB - Qual sua primeira ação, no primeiro dia de trabalho, como prefeito eleito?
Marcos – Vamos arregaçar as mangas, enfrentar a realidade e, com passos firmes, com muita determinação, buscarmos, junto com o povo bresciense, construir alternativas para tornar, a cada dia, nosso município melhor.
 
JNB - Pretende manter todas as secretarias em atividade? Pretende criar alguma nova?
Marcos – Nossa meta é reduzir gastos. Caso seja possível, conforme a legislação, vamos reduzir cargos de confiança e outras funções e secretarias.
 
JNB - De que forma acredita que o município pode economizar para poder investir em novos projetos?
Marcos – Precisamos ter controle financeiro, em que todos os gastos e investimentos possam ser realizados de forma consciente, clara e transparente, pois se o recurso for bem aplicado, rende mais.
 
JNB - Cite um projeto que gostaria de implantar em seu governo.
Marcos – Queremos valorizar o ser humano proporcionando condições de bem-estar e vida digna, em que o munícipe sinta-se amparado pelo poder público com múltiplas oportunidades de aqui crescer e permanecer. Queremos cuidar, investir e valorizar o nosso produtor rural, nossa principal fonte de renda, bem como adquirir área para instalação de micro e pequenas empresas, suprindo e criando necessidades de trabalho.
 
JNB - Deixe uma mensagem aos brescienses.
Marcos – Estamos em nossa caminhada pedindo aos brescienses um voto de confiança, uma oportunidade para mostrar que com menos, podemos fazer mais.
 
 
 
O agricultor hortigranjeiro Adilar Lorenzon é o candidato a vice-prefeito na chapa de Marcos Antônio Martini. Aos 53 anos, Adilar já foi vereador por duas legislaturas, seguidas, de 2000 a 2008.
Veja o que ele falou ao JNB em sua entrevista:
 
JNB - De que forma acredita que o vice-prefeito pode colaborar na administração do município?
Adilar – Caminhado junto com o povo, ouvindo suas necessidades, bem como ajudando e fiscalizando as obras da administração.
 
JNB - Qual será seu papel na administração, se eleito?
Adilar – quero ouvir as pessoas, visitar as comunidades e levar suas necessidades à administração. 
 
JNB - Na sua opinião, no que Nova Bréscia precisa evoluir?
Adilar – Precisamos evoluir no setor primário, que é o setor que gera renda para nosso município. Também precisamos oportunizar capacitação aos nossos jovens e criar oportunidades de geração de emprego.
 
JNB - Se eleito, tem algum projeto que pretende dedicar-se pessoalmente?
Adilar – Meu objetivo de governo, ao lado do prefeito Marcos, será buscar recursos para investir em agroindústrias, micro e pequenas empresas, geração de emprego e moradias.
 
JNB - De que forma a população poderá participar das decisões em seu governo, se eleito?
Adilar – Através de visitas às comunidades, quando a população poderá colocar suas ideias, objetivos, angústias, construindo, desta forma, soluções em conjunto. Queremos valorizar a população durante toda a nossa gestão, uma gestão democrática, onde todos terão voz e vez.
 
Você está aqui: Principal Notícias Geral