CRAS amplia as atividades em 2017 para crianças e adolescentes

“A dança como expressão de emoção, sentimento e afetividade. A dança como um método educativo que desperta valores como o respeito, a amizade e a cordialidade. A dança na relação de gênero construindo laços e hábitos saudáveis. Incluindo, fortalecendo e gerando novos espaços de participação na comunidade. A dança como um novo jeito de ser e de se expressar na sociedade”.
Com este pensamento, o CRAS iniciou, em 2017, a oficina de dança de salão, querendo despertar uma nova geração de jovens que dançam, se divertem de forma sadia e respeitosa, que desperte as potencialidades e experiências positivas na formação do caráter das crianças e adolescentes.
A pedido de muitas crianças que participam do CRAS, a Secretaria de Assistência Social está oferecendo aulas de dança de salão gaúcha nas terças e quintas-feiras na parte da manhã e terças-feiras à tarde. São mais de 70 crianças que participam da aula coordenada pelo estagiário de Educação Física Bruno De Maman. As aulas também são estendidas aos grupos de idosos que demonstrarem interesse. 
- O CRAS sempre prezou pela qualidade dos serviços prestados com profissionais comprometidos e um atendimento de qualidade – frisa a Assistente Social Márcia Garibotti.
Bruno também ministra aulas de xadrez, nos mesmos dias da aula de dança. 
As atividades de ginástica de trampolim foram ampliadas esse ano para mais 43 crianças do turno inverso da escola, da faixa etária de seis a nove anos. Para isso foi ampliado a carga horária do professor Minoru Otsuka para atender ao pedido de muitos pais e da comunidade. 
Uma nova psicóloga, Fabrine Taffarel, também foi contratada para atender ao grupo de adolescentes de 15 a 18 anos nas atividades de teatro e educação preventiva, que são atendidos nas segundas-feiras à tarde; crianças e adolescentes que são atendidos nas terças-feiras de manhã e à tarde no turno inverso da escola.
No resumo geral os serviços de convivência e fortalecimento de vínculos oferecidos atualmente pelo CRAS no turno inverso da escola corresponde a 
47 crianças de 6 a 9 anos,
36 crianças e adolescentes de 10 a 14 anos,
12 adolescentes de 15 a 18 anos
No total, 95 crianças e adolescentes são atendidos semanalmente no CRAS.
  
 

Inaugurado primeiro oratório do mundo em honra a Madre Assunta

Uma grande festa marcou a inauguração do oratório em honra a Madre Assunta Marchetti, beatificada no dia 25 de outubro de 2014. Centenas de pessoas participaram da festa, que contou com a presença de devotos de diversas partes do estado, como São Paulo, Porto Alegre, Alvorada, Canoas, Passo Fundo, Bento Gonçalves, Caxias do Sul, São Domingos do Sul, Guaporé, Serafina Corrêa, Muçum, Anta Gorda, Roca Sales, Getúlio Vargas, Vale Verde, Bagé.
A programação iniciou Às 10 horas da manhã, em frente à Escola Nova Bréscia, instituição que Madre Assunta ajudou a criar quando veio para o município em 1919. Dali, a imagem de Madre Assunta e sua relíquia seguiram em procissão, acompanhadas por dezenas de fiéis, percorrendo as ruas em torno da Praça da Matriz, com parada em frente ao Hospital São João Batista, lembrando que Madre Assunta também trabalhou pelos doentes do município.
A procissão seguiu até o oratório de Madre Assunta, construído ao lado da Igreja Matriz São João Batista. O padre José Grilli deu bênção ao oratório e em seguida, à imagem de Madre Assunta, esculpida pelo artista Leonardo Caporale, em Roma, Itália. A Postuladora da Causa de Canonização da Bem-aventurada Assunta Marchetti, Irmã Leocadia Mezzomo, de São Paulo, dirigiu a palavra aos presentes e concluiu colocando a imagem de Madre Assunta no nicho de vidro, no oratório, junto a sua relíquia. Em seguida, todos participaram da celebração eucarística na Igreja Matriz, animada pelo grupo Cantare La Vita.
 
A obra
O oratório foi projeto do Arquiteto Marcelo Nedeff, de Nova Prata/RS. O trabalho da execução da obra foi acompanhado e coordenado por Mauro Zambiasi. Todo o trabalho dos dois profissionais foi totalmente gratuito.
O valor investido no oratório foi de R$ 51.200,00. Deste total, R$ 50mil foi doado por Ida Zambiasi (in memoriam) e R$ 1.200,00 vindos da arrecadação da festa inaugural do oratório, no qual participaram cerca de 600 pessoas.
A imagem da beata custou 1.400 euros. Os demais gastos, no valor de R$ 10.000,00 foram custeados pelas Irmãs da Província Cristo Rei, Porto Alegre/RS.
 
Canonização
O processo de canonização de Assunta Marchetti está prosseguindo normalmente e a postuladora, Ir. Leocadia Mezzomo, já tem dois casos de possíveis milagres que estão sendo analisados. Basta somente que um dos casos seja reconhecido como fato inexplicável à ciência atual por parte da equipe médica do Vaticano. Quando isto acontecer, Madre Assunta Marchetti será declarada Santa para a Igreja Universal.

Assistência busca atender seu público alvo com novas oficinas

Dando continuidade às entrevistas com os secretários municipais, nesta edição falamos com a Secretária de Assistência Social, Andrea Lemos Martini. Veja o que ela contou sobre os planos da Administração para o setor.
 
JNB - Dos projetos existentes no ano passado, quais a Secretaria de Assistência Social vai executar esse ano?
Andrea - Os projetos que se enquadram dentro da nova realidade do município e que atendam o público-alvo, previsto pela legislação, continuarão sendo desenvolvidos. Outros novos projetos também poderão ser oferecidos, visando atender a demanda do nosso público: crianças, jovens e idosos.
 
JNB - Houve alteração no quadro de funcionários da secretaria? Quem são os profissionais à disposição?
Andrea - O quadro da Secretaria da Assistência Social teve alterações e ainda não está totalmente completo. Temos atualmente atuando, duas assistentes sociais, dois estagiários, um educador físico voltado ao projeto da Ginástica. 
 
JNB - A agenda do CRAS, referente a atividades em turno inverso de aula, já está elaborada?
Andrea - Sim, mas poderá haver alterações em função da adequação, necessidades e da composição da equipe de trabalho.
 
JNB - Com a alteração do horário de funcionamento da EMEF Madre Assunta, o que muda nas atividades oferecidas pelo CRAS a seus alunos no turno inverso?
Andrea - Os projetos realizados no CRAS continuarão sendo desenvolvidos normalmente, atendendo a demanda e a faixa etária.
 
JNB - Haverá dias determinados para o atendimento ao público, pela secretaria, no Centro Administrativo?
Andrea - A Secretaria no Centro Administrativo estará aberta todos os dias para atendimento ao público. 
 
JNB - A Secretaria tem novos projetos para serem implantados neste ano?
Andrea - Estamos elaborando o nosso plano de ação mas, com certeza, teremos novos projetos para este ano e estes serão desenvolvidos em cima dos anseios e das necessidades do munícipes.
JNB - Quais as dificuldades que o setor deve enfrentar esse ano?
Andrea - A princípio esperamos não encontrar dificuldades, pois contamos com a continuidade dos serviços prestados e com os recursos oriundos das esferas que os mantêm.
 
JNB - Há previsão para o recebimento de verbas federais ou estaduais?
Andrea - Os programas são desenvolvidos com boa parte de recursos oriundos do Governo Federal e Estadual, e para este ano a previsão é que eles continuarão a serem recebidos.
 

Consertos de máquinas marcam início do ano nas Obras

Seguindo as entrevistas com os secretários municipais, nesta edição conversamos com o Secretário de Obras, Jair Lorenzon, que contou como está o setor, os equipamentos e os serviços realizados.
 
JNB - Quantos funcionários a secretaria tem a disposição atualmente?
Jair - Temos cerca de 25 funcionários. Destes, cerca de 60% estavam com férias vencidas, as quais precisaram ser tiradas agora, janeiro e fevereiro, meses que há muito trabalho.
 
JNB - Quais as máquinas e veículos em atividade?
Jair - Começamos o ano com uma retro, uma patrola e um carregador disponível. O restante do parque de máquinas estava sem condições de uso, sendo que em todos os veículos e máquinas foram feitas reformas e melhorias. Hoje estamos com 80% das máquinas disponíveis, mas ainda estamos com dificuldades com funcionários, pois há 12 máquinas em nosso parque e são apenas cinco operadores efetivos. Com falta dos mesmos, houve a contratação de mais um operador em janeiro e outro em fevereiro. Com nossos caminhões também há esse problema. Temos seis caminhões e apenas dois motoristas efetivos. Assim quando há um maior número de trabalhos o secretário auxilia como motorista. 
 
JNB - Há veículos em conserto?
Jair - Sim. Ainda não foi possível por toda frota em dia pelo fato da grande demanda de consertos nas máquinas e veículos.
 
JNB - Quais os trabalhos realizados atualmente?
Jair - Estamos trabalhando com muita intensidade nesses primeiros meses de trabalho, mesmo com precariedade em nosso parque de máquinas. Até o momento atendemos mais de 320 pedidos particulares, para fazer valos, limpar e cobrir silagens, arrumar acessos de casas, aviários, chiqueiros, estábulos, estradas particulares, entrega de materiais, horas para melhorias de roças, e melhoria das estradas, como de Morro Seco e de Jacarezinho, que estavam em precárias condições de conservação. E neste mês, iniciamos os trabalhos de roçadeira a trator nas estradas. Mais trabalhos públicos foram feitos em outras estradas que estavam com locais precários. Na cidade estamos atendendo pedidos e fazendo a sua manutenção, como limpeza e roçadas das ruas e arredores para melhor conservação.
 
JNB - Qual a prioridade no atendimento dos pedidos?
Jair - Esses estão sendo feitos com escala de pedidos, centralizando os mesmos nas comunidades, e assim diminuindo as despesas e correrias de máquinas e veículos, priorizando trabalhos com silagem e urgentes.
 
JNB - Como são cobrados os serviços com máquinas?
Jair - Trabalhos como de silagem, acessos para casas, aviários, chiqueiros, estábulos, não são cobrados. Os demais trabalhos que são realizados tem um valor cobrado de apenas 50% .
 
JNB - Como estão as estradas no interior? Há uma ordem de serviços nelas?
Jair - Praticamente a maioria das estradas estão precisando de melhorias. Priorizamos as mais precárias, começamos com a que dá acesso a Nova Bréscia/Coqueiro Baixo. Em seguida fomos a Jacarezinho e Borgueto, ambas eram as mais necessitadas por melhorias. Lá foram feitos trabalhos com rompedor hidráulico e escavadeira hidráulica, para assim ter melhor conservação das estradas, houve colocação de materiais e brita nas mesmas.
 
JNB - Houve dificuldade no início dos trabalhos da secretaria neste governo?
Jair - Sim, houve dificuldade por motivos de não haver máquinas em boas condições, e sabendo que nos primeiros dias do ano houve muitos dias de chuva para atrapalhar nossos trabalhos, mas mesmo assim não deixamos de atender na medida do possível.
 
JNB - Os equipamentos e funcionários disponíveis hoje são suficientes para o bom andamento do setor?
Jair - Não, mesmo com os funcionários em atividade se empenhando em ajudar nesse começo de governo, devido à grande demanda de pedidos, precisamos de mais operadores e mais motoristas para poder suprir as necessidades dos munícipes.
 
Você está aqui: Principal Notícias Geral