Espaços públicos precisam de melhorias

Dois dos mais conhecidos espaços públicos do município estão urgentemente precisando de atenção. A Praça da Matriz, cartão postal da cidade, e o Parque São Cristóvão, na entrada da cidade, estão sofrendo com a falta de manutenção.
O Parque São Cristóvão, cedido para uso da área pela Mitra Diocesana de Santa Cruz do Sul, proprietária da área, para a Administração Municipal de Nova Bréscia desde agosto de 2014, está em ruínas. Recentemente, parte do telhado do salão principal cedeu. O restante do telhado não está em melhores condições e ameaça cair também. No telhado do salão ao lado, algumas telhas também caíram.
Na Praça da Matriz, o maior problema está no parque infantil. Além dos brinquedos estarem precisando de reparos, um dos bancos de concreto está destruído, não se sabe se por ação do tempo ou por vandalismo. O fato é que o entulho torna-se perigoso para as crianças que frequentam o local.
Segundo a Administração Municipal, para os dois locais, Parque São Cristóvão e Praça, estão sendo aguardadas verbas federais para execução dos projetos que a Administração já possui. Para os dois espaços, a Administração tem projetos de melhoria, mas depende de verbas para poder executá-los.
Segundo o Prefeito Municipal Gilnei Agostini, para a Praça, duas emendas parlamentares de R$ 250mil cada uma, proveniente dos deputados federais José Otávio Germano e Gerônimo Goergen, estão praticamente garantidas. Já para o Parque São Cristóvão não há verbas em vista ainda.
Mas, até que estes projetos não possam sair do papel, o Prefeito garantiu que será feito um ‘arrastão’ no Parque São Cristóvão, pela Secretaria de Obras, deixando-o mais seguro para os que o visitam. Na Praça também devem ser feitas ações de limpeza e consertos, proporcionando um ambiente mais agradável para os brescienses e visitantes.
 

Grupo vai levar cultura gaúcha a São Paulo

A Invernada Mirim do CTG Paixão Cortes, acompanhada por uma comitiva de pais e patronagem da entidade vai estar em São Paulo, de 17 a 23 de julho, quando farão apresentações artísticas diárias para turistas e moradores da cidade de Barrinha.
A viagem foi organizada pelo instrutor de dança Adroaldo Parizotto, que realiza este trabalho há 10 anos, levando invernadas da região para apresentar a cultura gaúcha em outros estados. Esta é a segunda vez que o CTG Paixão Cortes viaja para se apresentar.
A comitiva vai hospedar-se num hotel fazenda, onde vai realizar as apresentações de dança, bem como falar sobre a cultura gaúcha, culinária e danças através de palestras. Segundo Adroaldo, empresários da região, inclusive brescienses, vão até o local das apresentações para matar a saudade do Sul.
Na noite de 13 de maio, o grupo do CTG organizou um jantar para arrecadar fundos para a viagem. Dezenas de familiares e amigos participaram do encontro, que culminou com apresentações das invernadas da entidade.
 

Música italiana integra grupos da região

O Grupo Cantare La Vita promoveu, na noite de 16 de abril, o 2º Encontro de Grupos de Cantoria. O evento começou na Igreja Matriz São João Batista e terminou no Salão Paroquial da cidade.
Na Igreja, 14 grupos vindos de diferentes cidades da região cantaram para o público presente. Cada grupo apresentou duas músicas, em sua maioria, italianas. Depois dos grupos convidados, o anfitrião da noite, Cantare La Vita, subiu ao altar da igreja com seus 28 componentes para fazer sua apresentação. Começou com o Hino de Nova Bréscia, seguido de mais duas canções italianas.
No final das apresentações, os gaiteiros de todos os grupos foram convidados a juntarem-se no altar com o grupo, para juntos entoarem a canção Mérica Mércia. Todos os presentes cantaram junto com o grupo a música que tornou-se um hino para os descendentes italianos.
Após as apresentações, os grupos visitantes e comunidade brescienses participaram de um jantar típico italiano, servido e organizado pelo Cantare La Vita.
 
Cantare La Vita 
lança seu CD
A noite marcou ainda o lançamento do CD do Cantare La Vita, gravado no final de 2015. Na entrevista a seguir, o regente do grupo, Dothan Erbes, fala um pouco da história do grupo e como foi a gravação de seu primeiro CD.
 
JNB - Como surgiu o Grupo Cantare La Vita?
Dothan - Tínhamos no ano de 2013 um bom número de violonistas assim como hoje também são mais de 30, que frequentam as aulas de violão. No grupo dos mais adiantados, no turno da noite, tínhamos pessoas adultas que demonstravam um interesse muito grande pela música e canto. Conversando e dialogando com essas pessoas surgiu então a ideia de convidarmos mais pessoas para então posteriormente começarmos o trabalho na formação desse grupo. Conversei pessoalmente com o prefeito Gilnei Agostini que gostou da ideia e nos prometeu total apoio. Assim que tivemos a promessa de apoio da Administração municipal, o grupo começou a ser organizado e logo tínhamos 29 cantores dispostos a trabalhar e se integrar a um grupo que lhes proporcionaria muitos momentos de alegria e com orgulho oportunizaria mostrar seu talento musical e representaria o município em todo território nacional. O grupo se reúne semanalmente para ensaios, visando o aperfeiçoamento musical, despertando nos integrantes o gosto pelas canções voltadas à cultura italiana.
 
JNB – Qual a a técnica de trabalho?
Dothan - É a técnica da inclusão, que acreditamos ser a maneira de darmos oportunidade a todos. Seus participantes são autênticos e verdadeiros. Eles cantam com muita alegria e humildade. Me sinto muito feliz em fazer parte desse grupo porque são pessoas com um espírito de união muito forte e cada um se esforça para que o grupo se consolide cada vez mais.
 
JNB – Como foi a escolha do nome do grupo?
Dothan – Pedimos aos integrantes ou pessoas do município que sugerissem um nome. Aí tivemos a ótima sugestão do Pe. Mario Zambiasi que foi acolhida por unanimidade pelo grupo: Grupo Cantare La Vita.
JNB – Como surgiu a ideia de gravar um CD?
Dothan - Tínhamos feito várias apresentações na comunidade e no Santuário de Caravaggio Farroupilha. Também participamos de vários encontros de grupos Italianos na região. Vendo que o grupo estava progredindo musicalmente sugeri a eles a possibilidade de gravarmos o CD. No momento alguns, penso eu, duvidaram, mas procurei demonstrar a confiança que eu tinha nas vozes e na boa vontade que cada um demonstrava. 
 
JNB - Como foi a preparação para a gravação?
Dothan - Começamos os ensaios no início de 2015 e escolhi 13 canções sendo a primeira o Hino de Nova Bréscia . Numa das canções, com o título La Prova tivemos a participação da Família de Mamam que foi buscá-la junto aos familiares porque os antepassados já a interpretavam. A preparação foi muito tranquila ensaiamos semanalmente sempre as terças-feiras durante o ano de 2015 e agendamos para a gravação o dia 08 de dezembro do mesmo ano.
 
JNB - Quanto tempo demorou a gravação? Onde foi?
Dothan - A gravação foi feita em aproximadamente  quatro horas. A gravação aconteceu no Estúdio Castro e tivemos o acompanhamento técnico de mixagem e masterização com o Sr. Rodrigo de Castro e eu fiquei com a supervisão geral.
 
JNB - Como será a comercialização do CD?
Dothan - Quem quiser adquirir o CD poderá fazê-lo entrando em contato com o Coordenador do grupo Mauro Zambiasi (cel.9996-7998) ou com a secretária Jaqueline Cristofoli (Cel.8110-1912), ou com qualquer um dos componentes cantores do Canare La Vita.
 

Turma de 1970 promove reencontro

Na foto, Angelo Mezacasa (diretor em 1970), Primeira Dama Elisa e formandos.
 
Durante a festa de aniversário do município, a primeira turma formada em Coqueiro Baixo no ano de 1970, realizou um reencontro. 
Os formandos do 8º ano da Escola Estadual de Ensino Médio Donato Caumo se reuniram para comemorarem o reencontro após 46 anos, com direito a brinde com espumante e bolo comemorativo.
Você está aqui: Principal Notícias Destaques