Desfile Cívico prega participação e cidadania

Sete de setembro,  Dia da Pátria. Coqueiro Baixo tingiu-se de verde e amarelo. Foi dia de desfile, manifestações de civismo, participação e cidadania. Uma oportunidade valiosa não apenas para recordar o sete de setembro de 1822, quando Dom Pedro proclamou a independência do Brasil em relação a Portugal - mas também, e, sobretudo, para  refletir coletivamente sobre suas consequências e poder debater temas fundamentais em nossos dias como cidadania e participação política na construção e manutenção da verdadeira e necessária independência do nosso país.

E com o tema Independência se constrói com participação e cidadania, estudantes das Escolas Municipais Heitor Villa Lobos, Sete de Setembro, Cantinho da Mônica, alunos da Escola Estadual Donato Caumo, Grupos de Convivência da Secretaria de Assistência Social – idosos, PCDs, jovens e adolescentes, professores, oficineiros, militantes do Grito dos Excluídos/as, tomaram a avenida Itália, em Coqueiro Baixo, para apresentarem em 25 alas distintas o trabalho que cada um constrói dia a dia no município.
Houve demonstrações de dança clássica, dança gaúcha, taekwondo, teatro, música e violão. As alas foram criativamente desenvolvidas mostrando cada serviço realizado pelos diversos grupos - informática, hora do conto, nutrição, dança, educação preventiva, politécnico, esportes, teatro etc. Também participou do desfile a ala do Grito dos Excluídos/as - uma manifestação popular carregada de simbolismo que acontece desde 1983, em todo o Brasil, no dia 7 de setembro. O  lema do Grito dos Excluídos 2012 -  Queremos um Estado a serviço da nação, que garanta direitos a toda população - resgata o verdadeiro sentido de independência  brasileira. O Brasil será livre e soberano quando na mesa de todo cidadão brasileiro não faltar o pão, a saúde e a educação. 
Após a caminhada cívica, cada oficina de trabalho fez sua apoteose final na Praça do Município, onde houve o ato cívico com apresentações. Também a Cavalgada Região dos Vales marcou presença no evento abrindo as comemorações da Semana Farroupilha que este ano tem como tema “Nossas Riquezas”.

Tradicionalismo nas veias

No dia 19 de setembro, as Escolas Municipais Cantinho da Mônica, Sete de Setembro e Heitor Villa Lobos comemoraram a Semana Farroupilha com uma programação intensa e regada de tradição. Já na abertura, com o hino Rio-grandense, se percebia o orgulho das crianças de ser do Rio Grande do Sul e de manter viva esta paixão. 

A programação teve início com o professor de cultura gaúcha Adroaldo Parizoto.  Devidamente pilchado, fez um resgate histórico dos principais símbolos gaúchos e do tradicionalismo gaúcho como a chama crioula, a erva mate, o quero-quero, o umbu etc...
Mas o sentimento gaúcho tem muito mais simbologias, ainda que não oficiais. E as crianças provaram que vivem no dia a dia esta cultura mantendo viva a tradição do churrasco, do chimarrão, da bombacha, do galpão crioulo...e também nas brincadeiras. Não houve quem não tentasse laçar  o boi improvisado pela professora de educação física Clélia Tonello, no tornei entre os alunos que aconteceu na parte da tarde, logo após o tradicional carreteiro servido durante o almoço no Piquete Cafundó da Tradição. 
Aproveitando ainda o fim do inverno e a chegada da primavera, as crianças, sob a orientação da bióloga Inessa Schena Boeri, puderam plantar um ipê amarelo, em comemoração ao Dia da Árvore, reforçando o nosso amor e respeito pelas árvores como representantes maiores da imensa riqueza natural que o Brasil possui.
 

Queda na Terceira Idade

 

Alternando com o trabalho realizado pela Assistente Social, referente ao Estatuto do Idoso, estão sendo realizadas também palestras sobre Queda na Terceira Idade, ministradas pela profissional de Educação Física Tatiane Ongaratto.
Neste trabalho está sendo frisada a causa de queda pelo envelhecimento e pelo fator ambiental. Sabemos que os motivos de queda são muitos, sendo um evento que não é esperado, pois o idoso cai de um nível superior para um nível inferior, ou do mesmo nível de forma involuntária com ou sem perda de consciência, e com ou sem lesão. 
Na oportunidade foi realizado um teste, o qual  avalia a  mobilidade funcional e os riscos de queda dos idosos. Falou-se também dos cuidados que os idosos devem ter ao realizar as atividades do dia a dia, deixando claro que quando chegamos a certa idade, não devemos ter pressa para nada.
 
Você está aqui: Principal Folha Coqueirense