Momento Agricultura

 

Diogo Carlos Delazeri - Técnico Agrícola
Representante da Empresa Real H Homeopatia Animal

JNB 287 - 10 de março de 2014

Nos dias de hoje os animais estão sendo submetidos a uma alimentação com muitos concentrados (rações, silagem) para que nós possamos tirar o máximo de desempenho destes animais, tanto gado leiteiro, gado de corte, ovelhas, suínos, aves, etc. Também muitos destes animais recebem, às vezes, uma carga muito elevada de antibióticos e muitas vezes estes antibióticos não dão o resultado esperado. Normalmente isso ocorre por uma insuficiência hepática, ou seja, o mau funcionamento do fígado, ocasionando uma intoxicação. A Real H trabalha com um produto chamado Figotonus que auxilia no mau funcionamento do fígado, evitando as intoxicações. O Figotonus pode ser usado tanto preventivo, quanto curativo, fazendo apenas um ajuste de dosagem. Pode ser tratado junto com qualquer alimento que o animal irá consumir, e o Figotonus tem carência zero.
Maiores informações (51) 8176-1607.

JNB 13 de março de 2014

Nesta edição falaremos de um problema que é muito comum nas propriedades que produzem leite que é a mastite. Esta doença ocorre na glândula mamária das vacas leiteiras ocasionando a inflamação do úbere e dependendo da mastite pode ocorrer a secagem de um ou mais quarto do úbere, podendo levar até a morte da vaca. O produtor que faz cálculos sabe muito bem o quanto uma mastite causa de prejuízo em sua propriedade. A Real H produziu um produto chamado Mast 100 que previne e pode até curar as mastites clínicas, subclínicas e reduz a contagem de células somáticas (ccs), sem descartar o leite. Também estimula o sistema imunológico e aumenta a resposta do úbere as infecções e elimina a necessidade de tratamentos convencionais. O Mast 100 pode ser tratado na alimentação da vaca tanto na silagem, ração ou sal mineral. O custa anual para prevenção da mastite com o Mast 100, levando em conta que a vaca fique seca dois meses é de R$ 75,50, sem descarte de leite. Maiores informações com Diogo C. Delazeri, representante na região.

JNB 277 - 14 de novembro de 2013

Conforme várias visitas feitas durante este ano aos produtores de leite da nossa região, ouvi várias reclamações de que as vacas inseminadas retornavam ao cio. Na maioria dos casos os produtores colocam a culpa no profissional que insemina, mas grande parte destes animais tem algum problema reprodutivo. Se uma vaca que foi inseminada retornar ao cio após os 21 dias (28, 30, 40, 50, 60 dias ) esta vaca ficou prenhe, mas por algum motivo estressante (calor, alimentação, mastite, febre) absorveu o embrião. A Real H produziu o medicamento Embrioplus para amenizar estes casos de absorção de embrião. O ideal é utilizar o Pró Cio 21 dias antes da inseminação e após, utilizar durante 60 dias o Embrioplus. Para maiores informações do modo de usar e dosagem, entrar em contato com o responsável da Real H, no Vale do Taquari, Diogo Carlos Delazeri, fone (51) 8176-1607.

Você está aqui: Principal Colunas Momento Agricultura