O Brasil e as eleições municipais de 2012

Na maioria dos anos, vivemos um clima de eleição, sejam elas municipais, estaduais e federais, pois é um direito que nós brasileiros temos, temos a liberdade de escolher os nossos representantes através do voto secreto, direito que nos foi concedido após o regime militar que houve no Brasil por alguns anos. Alguns talvez tenham saudades do regime militar, outros o condenam, pois cada um faz a sua análise e pensa da maneira que quiser, pois todo o regime tem os seus aspectos positivos e negativos, e cada um tem um direito de fazer a sua avaliação.

No momento atual, já estamos vivendo um clima de eleições municipais, pois são estas que mais sentimos de perto e que convivemos no dia a dia e 

cada munícipe conhece a todos os candidatos, pois fazem parte do espaço territorial do município e principalmente municípios que nem Nova Bréscia de pouca população e pouco espaço territorial convive junto quase o dia a dia.

Temos no Brasil atualmente 5 mil 611 municípios, e destes, 497 pertencem ao estado do Rio Grande do Sul. Então imagine o batalhão de pessoas que estão envolvidos diante destas eleições, calculem o número de candidatos a prefeito e vice. Imaginem então o número de candidatos a vereador e por trás de tudo isso uma multidão de cabos eleitorais e vamos dizer direta ou indiretamente toda população do Brasil está envolvida.

            Faltam menos de dois meses, pois as eleições do primeiro turno acontecem dia sete de outubro, e nos locais que tiver segundo turno será dia 28 de outubro. Neste espaço de tempo, estamos ainda envolvidos no mensalão, mas sem demora quando isso será esquecido e nada provavelmente acontecerá aos envolvidos, começaremos então o clima mais acirrado das eleições e logicamente quem está envolvido luta dioturnamente para ser eleito.

            Constatamos que a grande maioria dos prefeitos e vices que tem direito a reeleição, estão no páreo de novo, por isso que se diz que não é uma tarefa tão árdua difícil como alguns protagonizam, deve valer a pena, senão não teria tantos interessados, como é o caso dos vereadores que lutam incessantemente para poder continuar na vaga, pois em municípios pequenos é um salário extra, sem exigir grande esforço.

           Sempre sob o meu ponto de vista, em municípios pequenos que nem o nosso, gostaria que houvesse um consenso, mas infelizmente nunca aconteceu, e quem sabe um dia isso possa se tornar uma realidade. Vamos pensar seriamente sobre isso, e espero que os mais ferrenhos deixem de lado os partidos e pensem na população de todo o município.

            Nova Bréscia sempre teve uma conduta exemplar nas eleições municipais e elo que estamos notando até o momento, não será desta vez que vai ser diferente, pois os candidatos estão fazendo o seu trabalho de contato com o seu eleitorado, e cada cidadão bresciense é bastante inteligente para saber escolher seus candidatos. Não vamos nos iludir com falsas promessas, vamos acreditar em pessoas capazes, competentes e que realmente se preocupem para um maios desenvolvimento de Nova Bréscia, nem todos serão eleitos, mas sucesso a todos, pois amamos esta terra.

 

 

Compartilhe

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google BookmarksCompartilhar no TwitterCompartilhar no LinkedIn
Você está aqui: Principal Colunas Coluna do Colombim O Brasil e as eleições municipais de 2012